Arrumo lugares no meu coração, carrego você na alma, te falo silenciosamente  sobre as canções que não teve tempo de ouvir, os livros que não leu, as ruas que não viram seus pés, partilho a vida nessa comunhão silenciosa, te levando para os lugares onde vou, carregando você no coração,meu jeito de ajeitar a vida...

 (Teresa Gouvêa)

 
Congresso Internacional do Medo

Provisoriamente não cantaremos o amor,


que se refugiou mais abaixo dos subterrâneos.


Cantaremos o medo, que estereliza os abraços,


não cantaremos o ódio porque esse não existe,


existe apenas o medo, nosso pai e nosso companheiro,


o medo grande dos sertões, dos mares, dos desertos,


o medo dos soldados, o medo das mães, o medo das igrejas,


cantaremos o medo dos ditadores, o medo dos democratas,


cantaremos o medo da morte e o medo de depois da morte,


depois morreremos de medo


e sobre nossos túmulos nascerão flores amarelas e medrosas.


(Carlos Drummond de Andrade)




Site desenvolvido por BRIFA.COM.BR