Arrumo lugares no meu coração, carrego você na alma, te falo silenciosamente  sobre as canções que não teve tempo de ouvir, os livros que não leu, as ruas que não viram seus pés, partilho a vida nessa comunhão silenciosa, te levando para os lugares onde vou, carregando você no coração,meu jeito de ajeitar a vida...

 (Teresa Gouvêa)

 
Sobre Avůs e Esperas

Amanhã é domingo...ela espera visitas. Criou os filhos, ajudou com os netos, o marido faleceu...Antigamente, fazia grandes almoços, hoje, está cansada, as pernas não colaboram. Hoje, faz tapetes, assiste TV, e reza, tem uma fé inabalável em Deus.

Amanhã é domingo...ela espera visitas. Os filhos e netos a amam, mas tem uma vida tão conturbada, tantos compromissos...há os amigos, o shopping aos domingos, o futebol, as baladas, as namoradas, o cansaço do trabalho, há tanta coisa pra viver ainda, difícil sobrar tempo...

Amanhã é domingo. Ela acordará, cumprirá seus rituais diários, colocará um vestido bonito. Depois sentará no sofá da sala, em frente a porta principal da casa. Não haverá almoço a oferecer, mas um passeio pelos seus tapetes de retalhos e pelas histórias de sua vida. Contará sobre passagens tristes e engraçadas, contará sobre quem foi, contará sobre os finados de sua vida, tantas pessoas que já se foram. Convidará para um café e, depois, ao deitar-se para dormir, rezará e agradecerá pelo dia menos solitário, por sentir-se querida.


Amanhã é domingo... ela espera visitas. Oferece tapetes e histórias.  


(Para minhã avó Rosa, com saudades de ver tapetes e ouvir histórias)


(Teresa Gouvea)


foto de Jerry L. Rodrigues




Site desenvolvido por BRIFA.COM.BR