Arrumo lugares no meu coração, carrego você na alma, te falo silenciosamente  sobre as canções que não teve tempo de ouvir, os livros que não leu, as ruas que não viram seus pés, partilho a vida nessa comunhão silenciosa, te levando para os lugares onde vou, carregando você no coração,meu jeito de ajeitar a vida...

 (Teresa Gouvêa)

 
Sobre o Envelhecimento dos Pais

Envelheceram...sentem vontade de dizer aos filhos que as rugas não sinalizam incapacidade, sentem vontade de dizer que estão cansados para ficar o dia todo com os netos, mas que isso não significa ausência de amor.

Sentem vontade de dizer que é muito chato quando chegam em sua casa dizendo o que devem comer, beber, vestir, onde guardar coisas.

Sentem vontade de dizer que podem ser consultados sobre assuntos que dizem respeito aos seu cotidiano, que é muito dificil lidar com a falta de espaço e autonomia em suas rotinas.

Sentem vontade de dizer que receber ordens de filhos causa uma sensação desconfortável, como se fossem infantis e despreparados.

Sentem vontade de dizer que aguentam tudo isso, muitas vezes calados, porque tem receio que esses filhos não tolerem críticas, se irritem, fiquem com raiva e demorem a retornar quando recebem um não.

Sentem vontade de dizer que estão cansados, o corpo reclama fácil, os reflexos diminuíram, mas tudo isso é consequência de uma vida, de uma história... e que eles, os filhos, só estão ali porque essa história existiu... 


(Teresa Gouvea)


foto de Jerry Rodrigues





Site desenvolvido por BRIFA.COM.BR