Arrumo lugares no meu coração, carrego você na alma, te falo silenciosamente  sobre as canções que não teve tempo de ouvir, os livros que não leu, as ruas que não viram seus pés, partilho a vida nessa comunhão silenciosa, te levando para os lugares onde vou, carregando você no coração,meu jeito de ajeitar a vida...

 (Teresa Gouvêa)

Viver Até Dizer Adeus
 
 
Elizabeth Kubler-Ross (Terminalidade)
 
 

(Sinopse) Um livro que não só fala sobre a morte, mas tem a coragem de trazer fotos de pessoas comuns, enfermas, clicadas dias antes de morrer pelas apuradas lentes de Mal Warshaw, e tudo de uma maneira bonita, respeitosa e poética. É assim que chega às livrarias de todo País, pela Editora Pensamento: Viver até Dizer Adeus.A proposta audaciosa tem a assinatura da Dra. Elisabeth Kübler-Ross, que iniciou suas observações a respeito da morte, ainda na Polônia, quando prestava serviço assistencial no pós-guerra, mais precisamente no campo de concentração de Maidanek e, depois, seguiu profissionalmente na área do aconselhamento com pacientes de doenças terminais no sentido da aceitação da morte.Apesar do tema, o livro é agradável e convida o leitor não só a ter contato, como a participar dos momentos finais de alguns personagens da vida real, levando-o a uma saudável reflexão. São histórias como a de Beth, uma bonita mulher de 42 anos, que lutou até o fim contra um câncer. "O que Beth nos demonstrou foi que quando o ser humano tem a coragem de encarar a própria finitude e compreender essa imensa agonia, a incerteza e a dor que isso implica, ele renasce uma pessoa diferente", escreveu a Dra. Elisabeth. 

 
Site desenvolvido por BRIFA.COM.BR