Lugares do Adeus e do Amor

505

Meu amor, o dia hoje amanhece esquisito, em harmonia com tantos outros dias que fizeram parte do nosso ontem e espiarão nossos amanhãs. Me disseram que os dias de dor ensinam outras formas de amor e as despedidas nos contam sobre as chegadas. O seu adeus, tão cedo pra nós que ficamos, sempre me lembra como somos pequenos nesse universo infinito, mas me diz também como podemos ser grandes na lida com as ausências.
A saudade vai me contando do tempo e da necessidade de sermos gentis com ele, tento não acelerar o que pede pausa, me abrir para a vida que existe diante dos meus olhos, respeitando a dor, porque ela merece muito respeito. Tenho feito pequenas grandes descobertas, preguiça de me juntar onde me desmancham, como se a sua partida sem adeus me contasse da preciosidade do tempo da gente nessa estação…
Onde estiver, mande paz para sua mãe, ela é o lugar que mais precisa de gentileza, mesmo que as pessoas desconsiderem isso ou assinalem um tempo para as coisas do coração de uma mãe, ali, sempre será necessário cuidado e gentileza.
Há seis anos você ia embora fisicamente, há seis anos nos ensinou um amor que desenha olhos, cheiro e voz nos lugares mais sagrados do coração.
(Teresa Gouvea, para Anne, com amor, muito amor)
17/12/17

Sem comentários

Deixe um comentário