Arrumo lugares no meu coração, carrego você na alma, te falo silenciosamente  sobre as canções que não teve tempo de ouvir, os livros que não leu, as ruas que não viram seus pés, partilho a vida nessa comunhão silenciosa, te levando para os lugares onde vou, carregando você no coração,meu jeito de ajeitar a vida...

 (Teresa Gouvêa)

De Amor e de Luto
 
 
Maria Lucia Seidl de Moura (luto)
 
 

(Sinopse) Maria Lucia transformou a canção que brota do seu coração em palavra escrita. Ensaiou o seu cantar, primeiramente, num grupo de apoio para pessoas enlutadas, o qual muito me honrei em mediar enquanto ela esteve por lá. Neste livro, a canção sai da página e beija o leitor. Abraça o leitor. Educa o leitor. Encanta o leitor. Para que, à luz do encantamento, ele também conte sua história com outra narrativa, com outra poesia, com outra maestria. Com a baqueta na mão, o maestro conduz a sinfonia. Com a vida na mão, o leitor, assim como Maria Lucia, assume o próprio destino. Compreende que não pode alterar o inalterável, mas pode assumir a última das escolhas humanas: escolher que atitude tomar em quaisquer circunstâncias, escolher o próprio caminho. E desse modo o leitor vira autor. Autor da vida que é sua. As linhas até podem estar tortas. Os caminhos podem não ser os esperados. Mesmo tortas, porém, as linhas estão em branco, esperando o conteúdo da escrita. E a voz espera a chance de entoar a própria canção. 

 
Site desenvolvido por BRIFA.COM.BR