Filho, te amarei até depois do fim…

2582

Gu, filho e companheiro. Márcia, o buraco impreenchível. Uma ida ao supermercado e a vida muda. Os cuidados estendidos por mais de um ano, velando a recuperação de um filho. Gu e a sua luta diária. Gu e a despedida que nunca acontecerá. Uma mãe e a dor  imensa misturada com a fé e a saudade. Um filho  fica, até depois do fim. Assim é, assim merece ser, assim deve ser, para sempre.

406688292_10160819322444185_5182464580458192772_n

“Meu único filho foi atropelado em junho de 2020, numa calçada próxima de nossa casa. Era um domingo, ele vinha do supermercado, mas não foi um dia qualquer…”

“O Gu é meu único filho, meu grande amigo e companheiro, um ser humano genuíno que amava ajudar o próximo e ser útil, desde muito cedo queria trabalhar para ajudar em casa e o universo conspirou para que ele trabalhasse justamente em um setor que deveria conduzir deficientes visuais, auditivos, cadeirantes, pessoas com alguma necessidade especial. Ele amava seu trabalho, chegava em casa radiante, emanava luz. Um filho inigualável, amoroso, inteligente, trabalhador, que amava cantar.

Meu filho foi atropelado em junho de 2020, numa calçada próxima de nossa casa. Era um domingo, ele vinha do supermercado, mas não foi um dia qualquer… com o atropelamento meu filho ficou paraplégico, sofreu politraumatismos e, após três dias da cirurgia realizada, sofreu parada cardíaca, o que complicou ainda mais o tratamento.

gui

“A luta foi ferrenha. Gustavo lutou bravamente, foram vários procedimentos realizados, mas, infelizmente, aos 21 anos de idade, seu corpo frágil não mais suportou e partiu, por parada cardíaca e hemorragia gástrica.”

Após o acidente, ficamos internados ininterruptamente por um ano e quatro meses, eu o acompanhei por todo o período, com a ajuda da minha família, que revezava comigo eventualmente.

Retornamos para casa em outubro de 2021, meu filho era considerado um paciente de alta complexidade necessitando, dessa forma, do auxílio de Home Care 24 horas. Montamos um quarto de UTI em casa.

A luta foi ferrenha. Gustavo lutou bravamente, foram vários procedimentos realizados, mas, infelizmente, em 02/05/2022, aos 21 anos de idade, seu corpo frágil não mais suportou e partiu, por parada cardíaca e hemorragia gástrica, logo você, Gu, que amava caminhar, amava o sol, jogar seu futebol descalço, andar de bicicleta, era o meu geração saúde, meu orgulho, meu grande tesouro.

406403631_10160819321959185_8676543312588958966_n

“Sua partida deixou um vazio em minha vida, um buraco impreenchível…”

Sua partida deixou um vazio em minha vida, um buraco impreenchível pois, além da relação de mãe e filho, tínhamos uma parceria imbatível.

Tínhamos tantos planos, tantos sonhos, ele sempre dizia que faria de tudo para me fazer feliz, e ele fez, se manteve forte por toda sua existência. Teve que amadurecer muito cedo, pois sempre precisei trabalhar, às vezes me questiono o porquê de tanta injustiça, mas aí me lembro que não há injustiça para aqueles que creem em Deus, só rogo ao Pai a permissão de um dia poder reencontrar meu amado filho.

407567297_10160819321984185_4349973509582544374_n

“A dor é imensa, dói todos os dias, desde o meu despertar até a hora que consigo conciliar o sono.”

Jamais imaginei que algo tão doloroso poderia acontecer conosco, alguém, em algum momento, disse que com o passar do tempo a dor iria diminuir, mas acho que isso é mera invenção, a dor é imensa, dói todos os dias, desde o meu despertar até a hora que consigo conciliar o sono.

Dizíamos diariamente o quanto nos amávamos, graças a Deus o amor nunca nos faltou e é disso que sinto falta, de ouvir sua voz cantando pela manhã, de brigar por não atender o telefone, sinto saudades de poder compartilhar contigo os mínimos detalhes do meu dia, sinto muita falta de você, meu príncipe de ébano.

406708072_10160819322499185_3843144103521641653_n

“Filho, o que me conforta é saber que você está bem, estou lutando para ficar bem também, para que um dia nos reencontremos.”

Agradeço a Deus pelo privilégio Dele, nosso Pai Maior, me escolher para ser mãe do Gustavo, meu príncipe de ébano, meu menino amável e bondoso.

Filho, o que me conforta é saber que você está bem, estou lutando para ficar bem também, para que um dia nos reencontremos.

Te amo meu filho, te amarei sempre e para sempre, até depois do fim.”

(Autoria: Márcia Miguel)

@marcia_remiguel

@lacoselutos_

Sem comentários

Deixe um comentário