O que fazer sem vocês, meus amores?

898

(Autoria: Claudia Martins)
O que fazer sem vocês, meus amores? A Cláudia passou por várias perdas – avô, gestacional, avó, marido e irmã – o amor pediu que os mantivesse vivos, diante de tanta dor a certeza que o Amor os deixaria por aqui, no seu para sempre. Dia 16/07/20, três anos sem o seu companheiro de fé, o porto seguro, o pai exemplar, três anos de dor e de uma reconstrução que nasce dos escombros, a esposa que perde o marido, o filho que perde o pai, a neta que segue sem os avós, a irmã que a deixa, os sobrinhos que continuam…Nas aprendizagens da dor a certeza que precisamos continuar amando quem não está e quem fica.
“Sou Cláudia Martins, moro em Coromandel/MG e vim relatar minhas histórias de perdas e luto. Minha primeira perda foi em 1996, meu avô materno faleceu em casa de um infarto fulminante. Sofri muito, pois era muito apegada a ele e nessa época já estava casada e chorava escondido do meu esposo. Depois em 1998 veio um aborto espontâneo do meu primeiro filho (a) que me deixou extremamente triste, deprimida e frustrada. Em meio a tantas perdas ganhei em 2002 meu melhor presente que é meu filho Carlos Henrique. Depois de alguns anos em 2013 minha avó materna faleceu junto comigo no hospital, como sofri em vê-la partir. Eu nunca imaginei que ainda teria que enfrentar mais batalhas pela frente. No final de 2015 eu e meu esposo estávamos na academia e ele não se sentiu bem, foi então que a partir desse dia ele começou a sentir falta de ar e dor no peito. Começamos a buscar tratamento e depois de muitos diagnósticos errados, ele foi diagnosticado com uma cardiopatia grave avançada e seu prognóstico era muito ruim, pois no caso dele somente um transplante cardíaco era indicado. Começamos uma luta na corrida para conseguir o tratamento, mas infelizmente ele não aguentou esperar e teve uma parada cardiorrespiratória em casa. Foi socorrido e levado para uma cidade vizinha onde ficou internado e em coma induzido tendo seu quadro agravado, em cinco dias faleceu aos 45 anos de idade. Morreu em 16 de julho de 2017, um dia após termos completado 22 anos de casados. Prometi a ele que NUNCA ia abandoná-lo…. Fiquei junto a ele até sepultá-lo naquele dia triste que ficou para sempre marcado em minha vida. Naquele dia sepultei junto com ele nossos sonhos, planos, nosso futuro… Mas NUNCA o nosso AMOR… Ele que sempre foi meu companheiro, meu amigo, meu porto seguro, um marido maravilhoso, um pai exemplar, um homem de fé. Comecei uma luta contra a sua ausência, pois sempre ele foi PRESENÇA… E isso dói, e como dói…. Uma DOR que dilacera a alma…. Ter que conviver com o VAZIO, sentindo saudades de sua linda VOZ, que inclusive me esqueci de mencionar que ele era dono de uma das mais lindas vozes, meu locutor preferido deve estar agora narrando um poema para os Anjos do céu.
Depois que ele se foi recebi o apoio de muitos amigos e familiares e me ergo a cada dia pela sementinha deixada por ele, nosso lindo filho.
Uma das pessoas que tanto me ajudou…. Minha irmã amada e querida…. Minha irmã….
Como assim? Jamais pensei que ia receber essa notícia…. Em 12 de março de 2019 recebo a pior ligação que alguém pode receber, ouço meu cunhado me dizer que minha irmã tinha sofrido um acidente automobilístico e morreu na hora. Meu chão desmoronou…. Que desespero…. Uma mulher linda, jovem, mãe de 3 três filhos lindos, sendo que uma é criança de 08 anos…. Por que? Por que?
Minha irmã confidente, amiga, companheira…. Eu não acreditei que estava passando por isso de novo, ter que sepultar mais um grande AMOR de minha vida, parte de mim, sangue do meu sangue. E agora? O que fazer sem vocês, meus amores? Vivo um dia de cada vez…Vivo pelo exemplo que vocês deixaram de amor, humildade, simplicidade, força, e principalmente pelos filhos que deixastes…. Meu filho, meus sobrinhos…. Meus pais …. Vocês são a razão de meu viver…
Sou estudante de Psicologia e pretendo ajudar pessoas enlutadas assim como eu. Uso da escrita para aliviar e expressar meus sentimentos, uma escrita terapêutica, gosto de homenageá-los em forma de poemas e mensagens. Para mim vocês estão mais VIVOS que nunca…. Em meu coração, em minhas memórias…. Quem AMA verdadeiramente jamais morre, mas vivem em cada um dos seus amados com maior intensidade do que antes. Daqui fica a SAUDADE do abraço, do afago, do beijo de amor. Até breve meus amores …”

Sem comentários

Deixe um comentário